Mês: março 2016

A Paz na Terra…Feliz Páscoa

Eu acordei com a ventania batendo na janela e os trovões mostrando sua fúria.
Não é possível Londres, em pleno domingo de Páscoa!
Tempinho perfeito para ficar debaixo das cobertas mas…Hoje não! Já é Primavera, faça o favor de abir sua janela e deixar o Sol entrar!

Gritei com ela. E ela escutou.

As 2 da tarde o céu azul brilhava como se nada tivesse acontecido. Agora sim. Domingo de Páscoa. Vamos ver o Sol.

No metrô observei as diferentes pessoas. Muitas famílias, pais, crianças, turistas. Cada um com seus planos para o almoço, talvez Missa e, claro: Ovos de chocolate.

É interessante perceber o que as datas religiosas têm se transformado. Honestamente, se perguntar á um jovem o que é a Páscoa, é capaz da resposta ser: ovo de chocolate e feriado emendado. Triste ou não, certos marketings fizeram essas datas ficarem mais próximas de cada um de nós, independentemente da Religião.

Seja por ganhar presente ou não, no Natal, estão todos em volta da mesa, saboreando uma bela ceia e compartilhando amor. Ao menos uma vez no ano.
A Páscoa não é diferente. Não encontrei a resposta certa para isso ainda. Se é porque nosso mundo está cada vez mais capitalista ou, se é uma maneira de nos fazer lembrar da ocasião.

Seja qual for a razão, a verdade é que poucos lembram que, antes do domingo do chocolate, existe o Sábado de Aleluia, a Sexta-Feira Santa- onde não come-se carne-e, até chegar o sagrado final de semana, passamos por 40 dias pós Carnaval chamado Quaresma.Não estou criticando ou julgando nada apenas, observando. Até porque, quem sou eu para apontar alguma coisa.

É que estar longe faz isso com a gente. Observar o resto do mundo, as mesmas atitudes em diferentes idiomas. Os mesmos pensamentos e desejos, em terras desconhecidas. E como esquecemos as horas anteriores, quando estamos diante do que nos interessa apenas.

Cheguei ao restaurante onde trabalho, para almoçar com meus colegas. Hoje eu estava de folga, mas Páscoa a gente passa com quem nos faz bem ainda que rapidamente. E, só para ser do contra, não comi ovo de chocolate. Preferí Sorvete na Gelateria Italiana Tradicional, onde relembrei o sabor da Itália.

E onde fiz questão de não esquecer que essa Páscoa, para muitos, veio carregada de lágrimas. Que o mundo, infelizmente, está fora de controle. O “Ser-Humano” está fora de controle. Não há valores. Não há respeito. Não há amor. Não há Paz. Não há Religião. Há vontades individuais. Feriados. Exclusões quando tentamos Incluir.

A minha Prece de Páscoa vai cheia de esperança e amor para aqueles que amanheceram com bombas em suas janelas, dias atrás. E para as mães e crianças que, hoje, nesse Domingo Sagrado, resolveram sair para brincar e tiveram suas alegrias cortadas.

Que nossos futuros feriados Religiosos sejam mais leves e mais verdadeiros.

A Paz na Terra.

Feliz Páscoa.

Pátria Amada Brasil…

04 de Março de 2016.

Sexta-Feira.

Acordo com a notícia de que nosso Ex-Presidente Lula foi levado pela Polícia Federal para depor pelo caso da Lava-Jato, o maior caso de Corrupção da história do Brasil. Lembro bem que aquele dia eu não tive concentração para fazer mais nada. Amigos e familiares atualizando a situação via mensagens de celular e meus olhos colados em todas as páginas de informações possíveis da internet.

Eu ria e chorava sozinha, como se a esperança surgisse diante dos meus olhos. Eu, mesmo de longe, conseguia acompanhar o início do fim do político que foi, provavelmente, a maior decepção de um país. Eu gosto de repetir isso, pois eu ajudei a colocá-lo no poder. Ele e, todo o PT, eram minha esperança de um Brasil melhor. Não só a minha, a de muitos brasileiros que estavam cansados dos Governos anteriores, que pareciam não olhar para seu povo.

Mas o Lula, que teve todas as chances de ser diferente e bom, contentou-se em fazer o mínimo e relaxar. Até demais. A mão coçou. O verdadeiro caráter surgiu. E aquele operário, dono de um belo discurso, cuspiu em nossa bandeira. Sua máscara caiu juntamente com a de todos os seus comparsas. Nosso país foi caindo pouco a pouco.

13 de Março de 2016.

Domingo.

Brasileiros nas ruas mais uma vez. Eu não estava lá. Houve protesto aqui em Londres também mas, eu estava trabalhando e não pude ir. Mas fiquei feliz em ver como as cidades se mobilizaram e fizeram a maior manifestação dos últimos tempos.

“Dessa vez não irão nos ignorar!” Pensei.

Mas passou batido, mais uma vez. Foi muito comentada, mas nosso Governo, realmente, fechou os olhos.

16 de Março de 2016.

Quarta-Feira.

Acordo com a notícia de que nossa Presidente Dilma ofereceu um Ministério ao Ex-Presidente Lula. Não apenas um Ministério mas, O Ministério da Casa Civil, onde ele terá poder de fazer o que quiser. Resumindo: Ele governa e ela assiste. Nós? Nós continuaremos sendo os otários, se não fizermos nada para mudar.

As horas passam e vejo a reação dos brasileiros. As cidades começam a parar, as pessoas começam a ir para as ruas em plena quarta-feira. Os movimentos livres convocam e o povo se une, porque está cansado. Mais do que qualquer sentimento, é cansaço. Cansaço por gritar e não ser escutado, cansaço por não ser visto, por ser mal tratado, ignorado.

Escuto os gritos via internet:

“Impeachment!”
“Renúncia Já!”
“Vem pra Rua!”
“Fora PT”

Meu coração vem na boca e meus olhos choram de emoção, como no dia em que eu estive na Avenida Paulista comemorando aquela vitória vermelha. Era a vez da Estrela. 14 anos atrás. Quem iria dizer que viraria o que virou. Quem diria que eu, hoje, gritaria para tirá-los de lá. Que o povo gritaria por isso, mais uma vez, desde o caso do Ex-Presidente Collor, em 1992.

E que eu participaria disso, de alguma maneira. Eu verei mais um Governo cair. Mas, dessa vez, o Governo que eu acreditei. Que eu confiei.

Fomos traídos, sim. O país inteiro e toda sua gente.

Enquanto o Governo articulava seu plano, soltávamos tiros e gritos em redes sociais. Perdemos amigos, talvez alguns familiares e,nos tornamos prepotentes a cada discussão. Nos transformamos em pessoas intransigentes, ao tentarmos convencer o outro de que nós somos o certo e não o vizinho.

Política não se discute e eu respeito o próximo. Será?

Julgamos e ofendemos sem perceber. Eu mesma não me reconheço em discussões sobre política. Já fui chamada de “garota zona sul”, “patricinha princesa”, “Branca rica” e por aí vai. Também já escutei que não posso opinar, pois estou morando em outro país. Bom, posso morar onde eu quiser que continuarei sendo brasileira. Certos sentimentos e registros não se perde. E nem quero.

A mesma pessoa que ontem dividiu uma cerveja com você, hoje é quem te aponta o dedo. E tudo por conta de política ou de um Governo específico, já tenho algumas dúvidas. Porque quando se trata desse atual, fica difícil entender que ainda há quem o defenda.

Estamos mais intolerantes e separatistas, sem percebermos que estamos TODOS no mesmo barco. Pobre, rico, negro, branco, mestiço, bancário, economista, médico, São Paulo, BH, Rio…Somos o Brasil inteiro pagando o preço por toda essa lambança. Não é porque é o PT, poderia ser qualquer outro, que iríamos gritar para tirar do mesmo jeito.

Mas até onde enxergamos isso? Até onde fazemos algo para mudar, de fato, nossa condição? Digitar sentado da poltrona de casa, atacando todos, é muito fácil. Está na hora de mudarmos pra valer! Essa, será só a primeira prisão. Que venham todos os outros, teremos o prazer de colocá-los na cadeia também. Que todos fiquem atentos, pois estamos gostando dessa “brincadeira” de irmos pra rua lutar pelos nossos direitos.

Não são gritos contra um Governo ou Partido apenas, são gritos A FAVOR DO BRASIL!

Façamos valer a Ordem e o Progresso.

Hoje já é 17 de Março aqui em Londres. Passa da meia-noite e não consigo dormir. Também não consigo para de escrever. Há um sentimento aqui dentro que borbulha. Posso ver as ruas cheias, as bandeiras, suas cores…Sua voz!

Sinta meu amor e meu apoio, Brasil. Eu sempre gritarei por você.

Sempre Juntas

Ela sempre me agradece por eu tê-la escolhido como minha mãe. Mas, na verdade, isso só foi possível, porque ela me desejou. E com certeza em muitas vidas.

Ela já aguentou muita chatice minha e reclamações. Já me deu muito colo- o colo que eu quero aqui diariamente- e já me viu rir á toa. Dividimos todos esses momentos juntas, porque estamos e, sempre estaremos, juntas.

Ela me apresentou ao filme que viria a ser meu favorito e o responsável por eu tornar-me atriz. Eu só tinha 6 anos quando assisti pela primeira E O Vento Levou. Compartilhamos horas assistindo e admirando a força de Scarlet O’Hara em diferentes épocas de nossas vidas.

Ela sempre fez tudo por nós. Até o que não podia.

“Ela mima vocês demais!” Frase clássica de meu pai.

“Mimo mesmo, são meus filhos!” Sua clássica resposta.

Ela nunca permitiu que eu lavasse uma louça ou esfregasse um chão e, hoje, quer arrancar os cabelos por saber que limpo um restaurante inteiro. Mas ela se orgulha. Eu sei que um de seus sonhos é ver-me entrar na igreja, toda de branco, casando com um belo homem que me faça “feliz para sempre.” Mas, eu sei também que ela quer me ver independente e realizada.

“Filha, não dependa de homem nenhum, faça a sua vida!”

Sim Senhora!

Eu sei que ela quis enforcar meu pai quando ele me mandou para a Austrália e abriu o mundo para mim. Ela morria de saudades enquanto eu aprendia a voar. Ali, ela percebeu que a filhota caçula tinha crescido. Não sei se voei, acho mais que caí do ninho mas, está valendo. Dez anos depois, como se já não bastasse o outro lado do mundo, eu invento mais uma escapada.

Eu tenho certeza que ela teve dor de estômago.

Eu sei.

Mas o que ela não sabe é que, olhar para os olhos azuis dela- que eu não herdei- e dizer tchau, mais uma vez, torceu meu coração. O que ela não sabe é que, por várias vezes, eu escondi emoções, para ela não se preocupar. Talvez ela também não saiba o tamanho das saudades que eu sinto mas, que eu só dou conta de lidar com esse meu coração cigano, porque eu fui criada por uma mulher forte e que me inspira todos os dias.

Independente. Amorosa. Guerreira.

Mata e morre por nós, se preciso for.

Mãe. Avó. Amiga. Melhor Amiga.

Essa é ela. ‘Essa’, é o que eu busco ser.

E hoje, quando ela completa mais um ano de vida, o que ela também não sabe, é que me encorajou mais ainda quando falou:

“Filha, eu estou bem e fico ainda melhor quando vejo você bem. Antes você estava engessada e triste, não fique assim, não se prenda a nada. Vai estudar, vai atrás dos seus sonhos e do que te faz bem, as coisas irão acontecer! Seja onde for e como for, estamos sempre juntas!”

Eu liguei para dar os parabéns e eu que ganhei o dia.

Viva a tecnologia do telefone via whatsupp e skype.

É…Hoje ela me mostrou que entendeu que criou um pássaro. E que tudo bem, porque os pássaros sempre voltam para casa, em algum momento.

Feliz vida mamãe! Eu amo você!

🙂

017

E o Oscar vai para…

Eu gosto de ser surpreendida pelas minhas próprias emoções e pensamentos.
Eu tinha algo pronto para postar hoje-que será postado em um próximo dia claro-mas não poderia jamais ignorar o que estou sentindo nesse momento como fã, como atriz, como uma apaixonada por cinema e, óbvio, pela famosa Red Carpet Season.

Não poderia deixar passar batido que acordei com a notícia linda de que você, meu ídolo de adolescente, excelente ator e ser-humano, finalmente, ganhou a merecida estatueta.

Não consegui assistir a premiação devido ao fuso horário e confesso, meu cansaço. Mas fui dormir com a certeza de que essa sua vitória viria. Não conseguia imaginar outra possibilidade.

O Oscar vai para você!

Que 20 anos atrás encheu meus olhos de menina e fez-me ir ao cinema dezenas, centenas de vezes seguidas, mesmo sabendo o final de cada história, só para ver seus olhos azuis ou recitar Shakespeare como o verdadeiro Romeo.

Minha estante preenchida de livros e revistas sobre sua vida e carreira. A mesada que eu recebia do meu pai tinha destino certo. O amor platônico pelo homem ideal.

Do adolescente com problemas mentais, em Gilbert Grape; Passando por Diamantes de Sangue; Sendo o incrível Howard Hughes, entre tantas outras intensas interpretações…O Oscar vai para você.

Depois de tanto ver-te doar-se para o cinema e para o mundo; Depois de tantas piadas feitas pelos “comuns”; Depois de tanto tentarem te ignorar, não teve como dessa vez. A Academia ajoelhou perante a você.

Não é necessário prêmio nenhum para um bom trabalho e um talento serem reconhecidos mas, sabemos que, como artistas, ter esse ouro em mãos significa o apse e, no seu caso, mais: o ‘cala-boca’ para todos aqueles que um dia torceram contra.

Eu escutei que o filme O Regresso, é ruim. Escutei que o roteiro é fraco e sua atuação é ‘ok’. Mas escutei também que é antológico e que “TEM QUE SER VISTO, pois Leo DiCaprio superou-se”!

Não importa o que diferentes vozes tenham me dito ou o quanto eu passe mal, provavelmente, diante das cenas fortes. Eu estarei no cinema para ver você, mais uma vez. E, agora, sorrindo e chorando á toa, pois essa estatueta é sua. Toda sua e merecidamente.

Sim, esse é um post rasgado de uma fã que precisava soltar para o mundo a felicidade em ver boa arte sendo aplaudida. Sim, é um post onde eu escrevo feito uma menina afinal, não sou crítica de cinema e não estou aqui para analisar nada. Apenas para compartilhar essa minha alegria…E tenho certeza que a de muitas outras pessoas também.

Viva Leo DiCaprio. Demorou, mas veio.

Que você continue sendo verdadeiro em seu trabalho e digno de ser chamado de ator e que, acima de tudo, continue sendo essa alma linda que és, porque você é um ser-humano que faz a diferença.

Não iremos ignorar o Planeta e nem a noite de ontem. Assim como eu jamais poderia ignorar sua vitória no meu canto sagrado!

🙂

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén