0 Flares 0 Flares ×

04 de Março de 2016.

Sexta-Feira.

Acordo com a notícia de que nosso Ex-Presidente Lula foi levado pela Polícia Federal para depor pelo caso da Lava-Jato, o maior caso de Corrupção da história do Brasil. Lembro bem que aquele dia eu não tive concentração para fazer mais nada. Amigos e familiares atualizando a situação via mensagens de celular e meus olhos colados em todas as páginas de informações possíveis da internet.

Eu ria e chorava sozinha, como se a esperança surgisse diante dos meus olhos. Eu, mesmo de longe, conseguia acompanhar o início do fim do político que foi, provavelmente, a maior decepção de um país. Eu gosto de repetir isso, pois eu ajudei a colocá-lo no poder. Ele e, todo o PT, eram minha esperança de um Brasil melhor. Não só a minha, a de muitos brasileiros que estavam cansados dos Governos anteriores, que pareciam não olhar para seu povo.

Mas o Lula, que teve todas as chances de ser diferente e bom, contentou-se em fazer o mínimo e relaxar. Até demais. A mão coçou. O verdadeiro caráter surgiu. E aquele operário, dono de um belo discurso, cuspiu em nossa bandeira. Sua máscara caiu juntamente com a de todos os seus comparsas. Nosso país foi caindo pouco a pouco.

13 de Março de 2016.

Domingo.

Brasileiros nas ruas mais uma vez. Eu não estava lá. Houve protesto aqui em Londres também mas, eu estava trabalhando e não pude ir. Mas fiquei feliz em ver como as cidades se mobilizaram e fizeram a maior manifestação dos últimos tempos.

“Dessa vez não irão nos ignorar!” Pensei.

Mas passou batido, mais uma vez. Foi muito comentada, mas nosso Governo, realmente, fechou os olhos.

16 de Março de 2016.

Quarta-Feira.

Acordo com a notícia de que nossa Presidente Dilma ofereceu um Ministério ao Ex-Presidente Lula. Não apenas um Ministério mas, O Ministério da Casa Civil, onde ele terá poder de fazer o que quiser. Resumindo: Ele governa e ela assiste. Nós? Nós continuaremos sendo os otários, se não fizermos nada para mudar.

As horas passam e vejo a reação dos brasileiros. As cidades começam a parar, as pessoas começam a ir para as ruas em plena quarta-feira. Os movimentos livres convocam e o povo se une, porque está cansado. Mais do que qualquer sentimento, é cansaço. Cansaço por gritar e não ser escutado, cansaço por não ser visto, por ser mal tratado, ignorado.

Escuto os gritos via internet:

“Impeachment!”
“Renúncia Já!”
“Vem pra Rua!”
“Fora PT”

Meu coração vem na boca e meus olhos choram de emoção, como no dia em que eu estive na Avenida Paulista comemorando aquela vitória vermelha. Era a vez da Estrela. 14 anos atrás. Quem iria dizer que viraria o que virou. Quem diria que eu, hoje, gritaria para tirá-los de lá. Que o povo gritaria por isso, mais uma vez, desde o caso do Ex-Presidente Collor, em 1992.

E que eu participaria disso, de alguma maneira. Eu verei mais um Governo cair. Mas, dessa vez, o Governo que eu acreditei. Que eu confiei.

Fomos traídos, sim. O país inteiro e toda sua gente.

Enquanto o Governo articulava seu plano, soltávamos tiros e gritos em redes sociais. Perdemos amigos, talvez alguns familiares e,nos tornamos prepotentes a cada discussão. Nos transformamos em pessoas intransigentes, ao tentarmos convencer o outro de que nós somos o certo e não o vizinho.

Política não se discute e eu respeito o próximo. Será?

Julgamos e ofendemos sem perceber. Eu mesma não me reconheço em discussões sobre política. Já fui chamada de “garota zona sul”, “patricinha princesa”, “Branca rica” e por aí vai. Também já escutei que não posso opinar, pois estou morando em outro país. Bom, posso morar onde eu quiser que continuarei sendo brasileira. Certos sentimentos e registros não se perde. E nem quero.

A mesma pessoa que ontem dividiu uma cerveja com você, hoje é quem te aponta o dedo. E tudo por conta de política ou de um Governo específico, já tenho algumas dúvidas. Porque quando se trata desse atual, fica difícil entender que ainda há quem o defenda.

Estamos mais intolerantes e separatistas, sem percebermos que estamos TODOS no mesmo barco. Pobre, rico, negro, branco, mestiço, bancário, economista, médico, São Paulo, BH, Rio…Somos o Brasil inteiro pagando o preço por toda essa lambança. Não é porque é o PT, poderia ser qualquer outro, que iríamos gritar para tirar do mesmo jeito.

Mas até onde enxergamos isso? Até onde fazemos algo para mudar, de fato, nossa condição? Digitar sentado da poltrona de casa, atacando todos, é muito fácil. Está na hora de mudarmos pra valer! Essa, será só a primeira prisão. Que venham todos os outros, teremos o prazer de colocá-los na cadeia também. Que todos fiquem atentos, pois estamos gostando dessa “brincadeira” de irmos pra rua lutar pelos nossos direitos.

Não são gritos contra um Governo ou Partido apenas, são gritos A FAVOR DO BRASIL!

Façamos valer a Ordem e o Progresso.

Hoje já é 17 de Março aqui em Londres. Passa da meia-noite e não consigo dormir. Também não consigo para de escrever. Há um sentimento aqui dentro que borbulha. Posso ver as ruas cheias, as bandeiras, suas cores…Sua voz!

Sinta meu amor e meu apoio, Brasil. Eu sempre gritarei por você.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×