Tag: BestFriend

Do Bosque à Terra da Rainha…Tanti Auguri!

Para que tentar entender o que está além do nosso entendimento. Não se alcança com as mãos o balão que está no céu. Algumas distâncias não foram feitas para nós, humanos. Apenas, para os sentimentos. É melhor viver e permitir-se sentir, do que “miguelar” emoções na tentativa de poupar o coração.

Correr os riscos entre as alegrias e as frustrações. E deixar ser.

Quando entrei naquele bosque, anos atrás, prometeram-me que eu viveria um conto-de-fadas. Well, melhor deixar os detalhes de lado. Mas é fato que, entre gnomos e gigantes, eu ganhei alguns tesouros. Sobrevivemos amigos em meio ao incêndio. E quando eu desabafei, dizendo o quão triste eu estava com toda aquela fumaça, você falou para eu confiar, pois eu teria caminhos muito bem sucedidos na vida!

Palavras nunca esquecidas.

Há um ano, quando estive aqui em Londres de férias, tive o reencontro com o que havia de mais valioso naquele bosque. Eu sabia por onde andavas mas, poder reencontrá-lo, em uma situação bem mais agradável, foi uma alegria. Eu sempre quis trabalhar com você novamente mas, não imaginava o espaço que você ocuparia em minha vida.

Do Maestro que eu admirava dos bastidores ao Amigo que posso confiar de olhos fechados, até debaixo d’água. Hoje é seu aniversário e eu não estou aí para dar risada com vocês…Nem para te abraçar…! Uma das ausências que eu sabia que sofreria.

Ano passado estávamos na Salsa e você dizia que estava velho!
Essa madrugada você mandou msg dizendo que, de fato, entrastes na terceira idade! rs

Darling, olhe para você, não são alguns mojitos que irão te derrubar!

Eu ainda estou em busca das palavras perfeitas para desejar-lhe Feliz Aniversário. Com menos clichês e mais verdades. Mas você conhece a amiga italiana que tem então, truco para toda a minha saudades e dramaticidade! rs

Abençoado seja aquele Bosque.

Abençoados sejam seus dias e sua arte.

Tanti Auguri, tesoro!
Happy Birthday, darling!

Todo Amor que houver nessa vida para você!

🙂

Viva!

 Ipi e Eu

Just Breath

Você dizia que não estava preparado para visitar o Brasil novamente, em tão pouco tempo. Eu sabia que eu não estava preparada para me despedir de você, mais uma vez, em tão pouco tempo.

E dessa vez com a geografia ao contrário.

“Me ajuda que eu terei que lidar com isso, Amêndoa!”

“Me too, Darling…”

Vir para Londres e te encontrar foi a recarga da minha bateria para continuar esse meu mundo novo. Fugir para o Brasil seria um erro nesse momento. Mas eu precisava de uma sensação de ‘casa’ e, foi você quem me deu isso. Dentro do meu sonho de viver a Inglaterra, nesse começo, seu abrigo foi essencial.

Mas dez dias parecem não ter sido o suficiente. Tempo nenhum teria sido, quando deseja-se atrasar a realidade dos próximos passos e, simplesmente, curtir as horas.

As Horas. É só uma viagem. É o meu começo de tudo.

Quem vai cozinhar para mim durante esses meses? Penso que posso emagrecer por conta disso. Ou quem dividirá os chocolates e as risadas, enquanto me convence de que “sim, tudo dará tempo e dará certo!”

Há 5 meses nos despedíamos em SP. Você voltava para cá e eu, ainda contava os dias para a Italia. Hoje, como em um passe de mágica, fui eu quem voltou sozinha pelo metro ingles, enrolada em cachecol. E você descerá no nosso calor de 40 graus. Alguma coisa está do avesso. Mas está tudo normal.

Dizem que eu tenho dificuldade em me despedir das pessoas, por ser filha de um divórcio. De fato, separação nunca foi meu forte. “Freud explica”, é o que falam.

Và Bene. Mas essa é uma explicação muito vazia e cômoda. Eu sei exatamente o que sou e minhas reações e, essa sou eu. Latina/Italiana, acima de tudo. Viva o drama!

Viva o crescimento da vida real.

O fato mesmo é que eu simplesmente detesto essas provas práticas da vida, assim, de surpresa, sem tempo para estudarmos ou fugirmos para a enfermaria. A situação é essa agora, vire-se!

Eu ficarei bem, como sempre fiquei. Mas a porta do meu mundo real foi aberta de vez. Minha referência está a uns 10 mil km. E Londres está bem aqui na minha janela.

Minha bateria carregada terá que funcionar em modo avião, para durar mais tempo.

Há dez dias eu matava o que estava me matando. Hoje, é o que me empurra.

Estou bebendo o que sobrou do vinho de ontem. Mas prometo deixar uma parte do seu brioche.

E eu espero que você volte. Assim como espero que Londres me acolha com amor.

Nesse momento há muita coisa acontecendo aqui dentro.

E uma ventania gritando lá fora.

Sozinha depois de tanto tempo.

Uma luz ficará acessa, com certeza. Eu já estou com saudades de você.

Just Breath…

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén