Tag: FelizAniversario

Feliz irmão

Aos 2 anos e 8 meses ele teve q aceitar um novo bebê em casa. Gostando ou não havia ganhado uma irmã e, mesmo com todos os ciúmes e brigas, ele tornou-se um super irmão, simplesmente o melhor cara do mundo para aquela caçula.

Geminiano, distraído, desastrado e até meio folgado. Mas sensível, artista, gente do bem, coração de gigante. Estivemos juntos em todos os momentos cruciais da vida de cada um. Eu fui a primeira a saber quando ele teve a primeira namorada. E ele sempre foi meu porto seguro nas noites de pesadelo.

Ele fazia meus trabalhos de escola atrasados e comia meus ovos de chocolate. Atormentava-me até deixar-me bastante irritada e ver-me explodir! Mas era em sua cia que rolava o maior Rock N’ Roll no quarto de madrugada!

Eu nunca o tinha visto chorar, até o dia em que embarquei para a Austrália. Eu não tinha idéia das saudades que eu sentia dele, até o dia que voltei e o abracei até sentir sua alma.

Meu irmão herói que não deixava ninguém encostar em mim no colégio. Meu irmão ciumento que controlava o tamanho das minhas saias. Meu irmão cúmplice que me deu a mão sempre que eu quis desistir. Meu irmão parceiro de shows e baladas. Meu irmão amigo que divide segredos e confiança.

Meu irmão adulto que me presentou com a afilhada encantada mais linda e amada.

E em nossos desentendimentos, penso, que é quando mais nos entendemos. Não há o que fazer. Nos escolhemos lá em cima e juramos proteção eterna. E assim será. Quer ver minha fúria é mexer com ele.

Eu não sei se fui um presente bacana 31 anos atrás. Mas hoje, no seus 34, eu sei que o presente maior foi meu, chegar e ter você do lado. Pronto. Estava em segurança.
Feliz vida irmão melhor que há!

Não importa a distância geográfica, nos comunicamos através do coração.

Eu amo você!

🙂

foto (2)Exibindo foto.PNGExibindo foto.PNG

Porque Você Sorri Pra Mim

Eu aprendi a falar lendo os seus lábios. Foi segurando em suas mãos que eu dei os meus primeiros passos. Eu não era tão grande assim, mas o Sol sorria pra mim.

Eu vi a nossa vida mudar da noite para o dia. Eu vi a chuva levar a casa que a gente tinha. Tudo parecia tão estranho, mas o Sol sorria pra mim.

Eu não pude escolher entre minha mãe e meu pai. Eu tive que aprender a ter dois lares e dois Natais. Eu não era tão forte assim, mas o Sol ainda sorria pra mim.

Eu cresci te vendo só aos finais de semana. Dormia nos estúdios e ia ao supermercado de pijamas. O apartamento era pequeno mas tudo bem, porque você cuidava de mim.

Era rock n’roll durante o dia. Futebol no clube e o “leãozinho” na hora da despedida. Te dizer adeus era difícil, mas você não se esquecia de mim.

Você me viu chorar, você me viu sorrir. Ensinou-me a sonhar e mostrou o mundo para mim. E foi assim que eu cresci com o Sol, a criança mais feliz.

Meu pai herói, meu pai amigo. Meu pai humano cheio de carinho. Eu sei que não sou a filha perfeita mas tudo bem, porque você sorri pra mim!

Feliz Vida Pai…Eu Amo Você!

🙂

foto (1)

Sempre Juntas

Ela sempre me agradece por eu tê-la escolhido como minha mãe. Mas, na verdade, isso só foi possível, porque ela me desejou. E com certeza em muitas vidas.

Ela já aguentou muita chatice minha e reclamações. Já me deu muito colo- o colo que eu quero aqui diariamente- e já me viu rir á toa. Dividimos todos esses momentos juntas, porque estamos e, sempre estaremos, juntas.

Ela me apresentou ao filme que viria a ser meu favorito e o responsável por eu tornar-me atriz. Eu só tinha 6 anos quando assisti pela primeira E O Vento Levou. Compartilhamos horas assistindo e admirando a força de Scarlet O’Hara em diferentes épocas de nossas vidas.

Ela sempre fez tudo por nós. Até o que não podia.

“Ela mima vocês demais!” Frase clássica de meu pai.

“Mimo mesmo, são meus filhos!” Sua clássica resposta.

Ela nunca permitiu que eu lavasse uma louça ou esfregasse um chão e, hoje, quer arrancar os cabelos por saber que limpo um restaurante inteiro. Mas ela se orgulha. Eu sei que um de seus sonhos é ver-me entrar na igreja, toda de branco, casando com um belo homem que me faça “feliz para sempre.” Mas, eu sei também que ela quer me ver independente e realizada.

“Filha, não dependa de homem nenhum, faça a sua vida!”

Sim Senhora!

Eu sei que ela quis enforcar meu pai quando ele me mandou para a Austrália e abriu o mundo para mim. Ela morria de saudades enquanto eu aprendia a voar. Ali, ela percebeu que a filhota caçula tinha crescido. Não sei se voei, acho mais que caí do ninho mas, está valendo. Dez anos depois, como se já não bastasse o outro lado do mundo, eu invento mais uma escapada.

Eu tenho certeza que ela teve dor de estômago.

Eu sei.

Mas o que ela não sabe é que, olhar para os olhos azuis dela- que eu não herdei- e dizer tchau, mais uma vez, torceu meu coração. O que ela não sabe é que, por várias vezes, eu escondi emoções, para ela não se preocupar. Talvez ela também não saiba o tamanho das saudades que eu sinto mas, que eu só dou conta de lidar com esse meu coração cigano, porque eu fui criada por uma mulher forte e que me inspira todos os dias.

Independente. Amorosa. Guerreira.

Mata e morre por nós, se preciso for.

Mãe. Avó. Amiga. Melhor Amiga.

Essa é ela. ‘Essa’, é o que eu busco ser.

E hoje, quando ela completa mais um ano de vida, o que ela também não sabe, é que me encorajou mais ainda quando falou:

“Filha, eu estou bem e fico ainda melhor quando vejo você bem. Antes você estava engessada e triste, não fique assim, não se prenda a nada. Vai estudar, vai atrás dos seus sonhos e do que te faz bem, as coisas irão acontecer! Seja onde for e como for, estamos sempre juntas!”

Eu liguei para dar os parabéns e eu que ganhei o dia.

Viva a tecnologia do telefone via whatsupp e skype.

É…Hoje ela me mostrou que entendeu que criou um pássaro. E que tudo bem, porque os pássaros sempre voltam para casa, em algum momento.

Feliz vida mamãe! Eu amo você!

🙂

017

Feliz 4 anos afilhada encantada!

293

Eu não pedi para ser tia. Não achei a ideia mais agradável quando recebi a notícia de que você estava a caminho. Pensei em tudo de pior: o mundo está perdido, para que mais uma criança; Vocês não tem condições de criar; criança é gasto e vocês acabaram de se conhecer. Todas as críticas vieram á minha mente e saíram pela minha boca. Sem pensar. Ou, na verdade, pensando até demais.

Mas poxa, era o bebê do meu irmão. Seria meu sobrinho. Onde estavam minhas palavras de apoio e carinho?

Racional demais naquele instante. Não era eu.

” Deixe de tentar entender, amiga, para sentir o coração mais perto!”

Palavras doces de quem havia passado pela mesma situação anos antes.

Quando escutei seu coração bater, pela primeira vez, através do ultrassom, entendi perfeitamente as palavras da minha amiga e entreguei-me para aquela vida que estava ali. Já não importavam mais as dificuldades que viriam e nem se, no fundo, eu era contra ou a favor da situação. Você era o que importava. E eu era a seu favor.

Minha nina menina. Há 4 anos você nasceu e eu estava longe, assim como estou hoje. Mas lembro-me exatamente onde eu estava, a roupa que eu usava e todas as lágrimas e sorrisos que misturavam-se cada vez que uma foto chegava via celular. Eu queria gritar para o mundo inteiro escutar: “Chegou minha sobrinha! Agora, o mundo pode acabar em amor!”

Contei os dias para te conhecer. Te protegi de azul e rosa e imaginei seu rosto durante meses. Imaginei como seria nosso primeiro encontro ou, talvez, nosso reencontro. Em meus braços, pela primeira vez, você dormia mas segurou em meu dedo com sua leve força e sorriu de lado. Pronto. Éramos eternas á partir daquele momento. Havíamos nos reconhecido.

Você ocupou todo o espaço da família e as rotinas de cada um. Eu “perdi” meu quarto para você, a atenção dos meus pais-avós corujas- e meu coração. Mas, entre tantas coisas, ganhei o presente em ser sua madrinha e escutar sua vozinha de anjo gritando: “Diiinndaaa!” Impagável sensação!

Sempre escutei que criança é tudo de bom e uma renovação em nossas vidas. Não nascem por á caso. Você é a maior prova disso. Nossa família, imperfeita em seu jeito de amar e lidar uns com os outros, uniu-se cada vez mais ao seu redor. Para te ver aprender a andar, escutar suas primeiras palavras, fazer farra e esmagar sua primeira coxinha no aniversário de 1 ano.

Você veio com a lição do amor incondicional e da leveza da vida. Trouxe a infância de volta mostrando que a felicidade é o agora e nos ensinando a acreditar em todas as magias, princesas e bruxas. Nossa realidade, que andava meio cinza, tornou-se colorida. O chão da sala cheio de brinquedos e até os cães aprenderam a dividir seus beijos.

Minha charmosa capricorniana. Minha afilhada encantada. Minha cara.
Quantas saudades das suas risadas e encenações.

Queria poder estar enchendo-a de beijos nesse segundo.

Feliz Vida minha baixinha mais linda!

‘Feliz’ todos os contos de fadas para você! ‘Feliz’ todos os dias de doces e sabores, vistos através de seus olhos puros e de esperança. ‘Feliz’ toda a nossa alegria e amor em tê-la conosco nesses 4 anos.

O mundo inteiro para você. Tudo o que você desejar, sua fada madrinha estará aqui para realizar!

Eu amo você.

03.01.2016

foto (4)

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén